| Presidente Prudente/SP

Conselho afasta prejuízo para alunos por falhas na merenda

Rogério Mative

Em 21/05/2019 às 20:35

Conselho Municipal de Educação relatou problemas na merenda escolar municipal

(Foto: Arquivo/Secom)

Após a Câmara Municipal de Presidente Prudente instaurar Comissão Especial (CE) para apurar denúncia de falta de alimentos e produtos de higiene nas unidades escolares, o Conselho de Alimentação Escolar (CAE) decidiu se pronunciar em nota negando "falta de mercadoria na merenda" e de que "não há prejuízo para os alunos".

A manifestação ocorre um dia após os vereadores que integram a CE solicitarem novas informações para o Conselho Municipal de Educação (Comed), que relatou os problemas na merenda em ata registrada no dia 26 de março.

Em nota divulgada nesta terça-feira (21), o CAE diz que trabalha de forma "incansável" no acompanhamento e fiscalização da aplicação dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para a manutenção da alimentação escolar municipal. O órgão também admite ter conhecimento das falhas relatadas pelo Comed.

"Queremos esclarecer que sobre a falta de alguns itens na merenda escolar, o CAE tem esses problemas relatados em suas fichas de visitas, assim como também, a ausência de supervisão do quadro de nutricionistas às unidades escolares, e que os cardápios estão sendo executado de acordo com produtos disponíveis", diz a nota assinada pela presidente do CAE, Sônia Auxiliadora Vasconcelos Silva.

Segundo ela, uma responsável técnica pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar garante que "tecnicamente, diante do que estabelece a lei, os alunos não estão tendo nenhum prejuízo nutricional".

"O CAE tem ciência que faltou proteína de boi durante um pequeno espaço de tempo, mas não faltou proteína animal, segundo a nutricionista RT, tecnicamente todos os nutrientes necessários estão contemplados no prato da criança, como por exemplo, na falta da proteína de boi, a merenda escolar tinha a disposição a proteína de porco, de frango, de peixe e ovos, isto é, produtos para substituição de todos os nutrientes para a elaboração do cardápio do dia, e até mesmo no caso do leite ser colorido com chocolate, açúcar queimado ou gelatina de morango, não existe prejuízo nutricional para a criança, e que as duas ultimas opções, foram autorizadas pela RT, e que isso aconteceu em um pequeno espaço de tempo", cita.

De acordo com o conselho, não há prejuízo para os alunos. "Na época todas as escolas estavam cumprindo com o cardápio estabelecido por nutricionistas", pontua.

"Ressaltamos ainda que sobre o problema de abastecimento das unidades escolares com mercadoria, isso é de responsabilidade da Coordenaria de Alimentação Escolar, que nosso foco está no cardápio do dia e em evitar desperdícios e perda de alimentos, ou seja, na aplicação da verba do PNAE na merenda escolar", finaliza.

CE da Merenda

A Comissão Especial realizará visitas in loco; irá ouvir diretores de escolas, agentes públicos, servidores do setor de merenda escolar, merendeiras, professores que atuam nas unidades de ensino de Presidente Prudente, além de representantes dos Conselhos Municipais de Alimentação Escolar e de Educação. A ideia é fazer um diagnóstico da real situação existente.

A Comissão Especial tem o prazo de até 120 para concluir os trabalhos. O período teve início no dia 14 e segue até o dia 10 de setembro deste ano.

Compartilhe
Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Prudentino.

Fique tranquilo, seu email não será exibido no site.
Notícias Relacionadas

Rua Catharina Venturim Peretti, 171

Mário Amato - Presidente Prudente-SP

Telefones: 18-3909 3629 | 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.