| Presidente Prudente/SP

Isolamento domiciliar: o que muda na sua rotina

Informativo Oeste Saúde

Em 27/03/2020 às 19:07

Praticar o distanciamento social nada mais é do que ficar longe o suficiente de outras pessoas para que o vírus não possa se espalhar

(Foto: Arquivo)

Nas ruas, na internet, nos jornais e até dentro de casa, o assunto mais falado da atualidade é sobre o Coronavírus (Covid-19). Em tempos de pandemia, tomamos todos os cuidados necessários para que a doença não se alastre e chegue perto dos nossos círculos de relacionamento.

E o melhor que podemos fazer agora é seguir todas as recomendações dos órgãos públicos para que tudo volte ao normal o mais breve possível, começando pelo isolamento domiciliar.

Quais são os cuidados básicos para não se contaminar?

Sabe-se que a principal forma de contágio do Covid-19 se dá por meio do contato com objetos contaminados, seguido do contato com olhos, nariz ou boca. Por isso, o principal cuidado se refere à higienização das mãos.

O ideal é lavá-las muito bem com água e sabão, várias vezes ao dia, ou então, usar álcool em gel 70%.

Outra forma de se contaminar é através do contato pessoal próximo, como o toque, abraços e beijos. E por isso o isolamento social tem se mostrado a melhor solução para conter a disseminação do vírus.

Uma vez que o Coronavírus também pode ser transmitido pelo ar, recomenda-se evitar locais com aglomeração de pessoas, além de manter pelo menos um metro e meio de distância das pessoas que não moram na mesma casa que você.

Quanto menos exposto você estiver, menor é a chance de se contaminar e ser um propagador da doença.

É exagero me isolar de tudo e de todos?

Muitas pessoas têm questionado se o distanciamento social seria uma medida excessiva, já que tende a prejudicar a economia do país.

Mas a verdade é que, se medidas drásticas não forem tomadas no início da disseminação, pouco poderá ser feito depois de uma contaminação em massa, e o problema levará ainda mais tempo para ser solucionado. 

Praticar o distanciamento social nada mais é do que ficar longe o suficiente de outras pessoas para que o vírus não possa se espalhar. É por este motivo que estabelecimentos, escolas e universidades foram fechados e eventos acabaram cancelados. E isso não é um exagero.

Segundo o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo, a doença causada pelo novo Coronavírus é assintomática em 86% dos casos.

Isso significa que a maioria das pessoas infectadas sequer sabe que está doente, podendo espalhar o problema sem nem saber disso.

Dessa forma, a maneira mais eficiente de reduzir o risco de infecção é manter distância de outras pessoas, mesmo que você não apresente nenhum sintoma.

A rotina no isolamento domiciliar

A primeira regra do isolamento domiciliar é limitar as saídas de casa ao máximo que puder, buscando ter contato somente com as pessoas que vivem sob o mesmo teto.

Para quem não pode trabalhar de casa, o ideal é ter cuidado redobrado com a higienização das mãos e, ao chegar no lar, tirar os sapatos na porta de entrada e ir imediatamente para o banho, colocando todas as roupas para lavar.

Quando houver necessidade de sair para fazer compras de mercado, por exemplo, escolha apenas uma pessoa da casa para fazê-lo; de preferência alguém que não esteja no grupo de risco (pessoas acima dos 60 anos e com problemas de saúde pré-existentes).

Se for levar os pets para dar uma volta, também é recomendado lavar com água e sabão  as patas dos animais ao voltar.

Praticar o distanciamento social requer outros cuidados específicos, como cuidados redobrados com a limpeza. É recomendado limpar com álcool 70% os objetos tocados frequentemente, como o celular e controle remoto.

Além disso, procure não compartilhar objetos pessoais, como copos, talheres ou toalhas.

No caso das pessoas que apresentam sintomas leves de gripe, resfriado e alergias, como tosse, coriza, dor no corpo e febre que passa com antitérmico, o recomendado é ficar isolado em um único cômodo, evitando contato com as demais pessoas da casa.

Mas caso apresente outros sintomas mais graves, como febre alta, diarreia e falta de ar, é preciso procurar o pronto socorro sem demora.

Tenho alguns sintomas. O que fazer?

A Oeste Saúde conta com um canal de atendimento direto para tirar dúvidas a respeito do Coronavírus. Basta entrar em contato via WhatsApp no número (18) 99684-7566 e falar com um dos atendentes.

Seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, a operadora pausou temporariamente o atendimento presencial ao público, que pode entrar em contato através dos telefones (18) 3918-5100 e dos celulares (18) 99755-8093 e (18) 99661-1823.

Compartilhe
Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Prudentino.

Fique tranquilo, seu email não será exibido no site.
Notícias Relacionadas

Telefone: 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.