| Presidente Prudente/SP

Prudente registra 54 novos casos de leishmaniose canina

Da Redação

Em 21/03/2019 às 16:51

Leishmaniose é uma doença grave, transmitida pela picada do mosquito Palha

(Foto: Arquivo)

Nesta quinta-feira (21), o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) confirmou 54 novos casos de Leishmaniose Visceral Canina (LVC). Destes, quatro registros foram notificados por clínicas veterinárias do município e os outros 50 pelo órgão. Somado aos já divulgados, Presidente Prudente registra 70 catalogações da doença no ano.

Segundo o responsável pelo CCZ, o médico veterinário João Henrique Artero de Carvalho Leite, todos os proprietários de cães com leishmaniose foram comunicados do diagnóstico e receberam orientações sobre a doença, forma de transmissão e medidas de prevenção.

“A leishmaniose é uma doença grave, transmitida pela picada do mosquito Palha, e pode levar à morte de pessoas e animais. No cão, a doença causa emagrecimento, fraqueza, queda de pelo, crescimento exagerado das unhas, feridas no focinho, nas orelhas e ao redor dos olhos, além de problemas de pele diversos”, explica.

Quais os bairros afetados?

Em relação aos registros, o bairro mais acometido é o Residencial Monte Carlo, com 11 catalogações positivas, seguido pelo Residencial São Paulo, com nove, e o Anita Tiezzi, com seis. Os demais seguem espalhados por diferentes bairros da cidade.

De acordo com o CCZ, já foram realizados 3.333 exames em cães.  Até o momento, não há registro de leishmaniose em humano.

Orientação

Leite orienta ainda que muitos animais sadios podem estar infectados, sendo portadores assintomáticos. “Os cães, nesta fase, mesmo sem qualquer alteração clínica, ao serem picados pelo mosquito palha mantêm a doença circulando em nossa cidade. Assim, é altamente recomendado que cães sadios realizem o exame, no mínimo, a cada seis meses. O CCZ realiza o exame de forma gratuita”, pontua.

Quanto à prevenção da doença, as larvas do mosquito se criam em locais sombrios, com vegetação e acúmulo de matéria orgânica em decomposição, como nas situações de acúmulo de folhas e frutos caídos, além de fezes de animais.

Dessa forma, o CCZ orienta que os proprietários realizam a limpeza rotineira do quintal e a poda regular das arvores. “Uma medida adicional é utilizar no cão a coleira repelente [a base de Deltametrina a 4%], pois ela é capaz de afastar os insetos transmissores”, ressalta.

Compartilhe
Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Prudentino.

Fique tranquilo, seu email não será exibido no site.
Notícias Relacionadas

Rua Catharina Venturim Peretti, 171

Mário Amato - Presidente Prudente-SP

Telefones: 18-3909 3629 | 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.