| Presidente Prudente/SP

Reflexão: Barbear do padre, por Sandro Rogério

*Padre Sandro Rogério dos Santos

Em 29/05/2017 às 12:24

Um pároco, cansado de ver suas homilias caírem no vazio, resolveu dar uma lição inesquecível aos seus ouvintes

(Foto: Ilustração)

Em tempos de repercussão de ofensas, não de ideias, de confrontos, não de debates é salutar desligar-se um pouco. Tal como num retiro, procurar um lugar, não necessariamente físico, para um encontro consigo. Quem se deixa simplesmente levar pelas ondas, ou arrastar pelos ventos, não chegará ao lugar pretendido.

Aliás, tal pessoa sabe onde quer chegar? Tem exata noção daquilo que anseia de si e dos seus? Quem perdeu a capacidade de ouvir, tampouco saberá falar e a sua ação estará comprometida também.

Gostaria de ilustrar a premissa com uma história, dessas criadas para ensinar alguma coisa. Hoje, já não se sabe ao certo a sua origem, ganhou vida própria.

Um pároco, cansado de ver suas homilias caírem no vazio, resolveu dar uma lição inesquecível aos seus ouvintes. Numa Missa dominical, ele subiu ao presbitério com o seu aparelho de barbear, bacia, água, espuma, caneca, espelho e toalha – daí, supõe-se seja um padre ‘das antigas’. Sequer cumprimentou a igreja e, tranquilamente, colocou água na bacia, testou a temperatura, ajeitou o espelho, pegou uma caneca, fez espuma, passou-a no rosto, e começou a se barbear.

Gastou vários minutos, que pareceram uma eternidade para os presentes. Ao final, quando todos esperavam que o padre fosse fazer um desfecho maravilhoso, dando-lhes a “moral da história”, ele simplesmente enxugou o rosto com a toalha e continuou a celebração até o final, sem comentários. Aquela foi uma semana atípica na paróquia.

O povo comentou o fato todos os dias da semana, tentando adivinhar o significado de tudo aquilo: – Que mensagem ele quis nos passar? – Qual é o simbolismo espiritual da água, do sabão, do barbear-se?

No domingo seguinte, quando o pároco subiu novamente ao presbitério, a igreja estava cheia. Olhando para aquela pequena multidão, disse-lhes: – Sei que vocês querem saber o significado do que fiz aqui na semana passada, entretanto, não há significado algum! Nenhum simbolismo. Nenhum desfecho maravilhoso. Nenhuma mensagem. Nenhuma “moral da história”.

No entanto, se podemos tirar alguma lição disso tudo, é a seguinte: há anos eu venho apresentando para vocês a Palavra de Deus, mas não tenho visto mudança significativa em suas vidas. Minhas mensagens têm caído no esquecimento, tão logo termina a Santa Missa.

Eu gostaria que vocês comentassem minhas homilias durante a semana, do mesmo modo que se dispuseram, nestes últimos dias, a comentar o meu barbear. Ou será que a minha barba é para vocês mais importante que a Palavra de Deus? Será que só por estar numa garagem você se torna um carro?

O fato de você estar constantemente na igreja, não faz de você um cristão. Na Bíblia encontramos que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. O que você faz com aquilo que ouve da Palavra de Deus? Somente a Palavra de Deus guardada em seu coração pode fazer você caminhar para a santidade.

A Palavra de Deus e a Eucaristia são nosso maior alimento e deveriam ser o motivo maior de nossas conversas durante a semana. Aquilo que repetimos várias vezes fica gravado em nós. Viva a Palavra de Deus ouvida, faça uso dela em sua vida, não critique o que foi menos bom.

Ainda, o sobrenome pode identificar a linhagem da pessoa, mas não necessariamente a pessoa, o seu caráter, a sua conduta. Há quem enobrece a família pelo comportamento e há quem envergonhe a família por mau comportamento sobretudo social. Repercutir as boas coisas que temos, lemos, recebemos e somos é um antídoto contra a indiferença e a superficialidade que nos faz mais inimigos que irmãos.
 
*Sandro Rogério dos Santos é padre diocesano da Igreja Católica Apostólica Romana desde 2004. Licenciado em Filosofia pela Universidade do Sagrado Coração (USC-Bauru) e bacharel em Teologia pela Pontifícia Universidade Nossa Senhora da Assunção (São Paulo). Pároco do Santuário Santa Teresinha de Presidente Prudente. Apresentou programas de rádio, atuante nos meios de comunicação e nas redes sociais.

 

Compartilhe
Notícias Relacionadas

Rua Catharina Venturim Peretti, 171

Mário Amato - Presidente Prudente-SP

Telefones: 18-3909 3629 | 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.