| Presidente Prudente/SP

Após vídeo, bispo Dom Benedito proíbe padres de politizar fiéis

Pela segunda vez, padre Tuti entra em rota de colisão com Diocese

ROGÉRIO MATIVE

Em 29/09/2018 às 12:34

No vídeo, padre Tuti faz

(Foto: Reprodução/Facebook)

Padres comentando sobre política durante a homilia, outros publicando vídeos de apoio a candidatos em redes sociais. O engajamento ativo do clero nas eleições motivou o bispo da Diocese de Presidente Prudente, Dom Benedito Gonçalves dos Santos, a proibir manifestações de párocos para evitar "escândalos e divisões na comunidade".

O documento intitulado "Política é arte de trabalhar pelo bem comum" foi confeccionado após o padre Antônio Sergio Girotti, conhecido como padre Tuti, convocar fiéis para uma carreata de apoio a candidato à Presidência da República. Esta é a segunda vez que Tuti entra em rota de colisão com Dom Benedito, após ser transferido para a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Tarabai.

No vídeo, padre Tuti faz "um convite especial" para uma carreata intitulada por ele como a "da vitória". "Nós amamos nosso Brasil, nós amamos nossa pátria, nós amamos nosso povo. E por isso, você que acredita num Brasil melhor, numa sociedade melhor, onde haja vida, haja segurança, emprego... Enfim, tudo aquilo que nós queremos para o nosso Brasil. Então sábado agora, às 10h da manhã, vamos participar dessa carreata", falou em sua mensagem divulgada nas redes sociais.

Vetou

Incomodado com as manifestações públicas, Dom Benedito afirma que a Igreja "não tem opção partidária". "Como o cenário político nacional está muito turbulento, com crises no campo moral, social e político, onde a cada momento contemplamos denúncias de corrupção envolvendo políticos e lideranças nacionais, é importante que cada eleitor exerça livremente a sua cidadania, votando em candidatos que sejam ficha limpa, que tenham conduta e valores morais e cristãos, promovam e defendam a vida e a família, trabalhando pelo bem comum da comunidade", diz.

"O sacerdote, por ser cidadão, tem direito e dever de votar de acordo com sua consciência, instruindo seus fiéis a exercerem sua cidadania, porém, como são diretores espirituais e estão à frente de uma comunidade cristã, onde deve trabalhar para que implante a unidade, a justiça e a paz", alerta o bispo na carta.

Ele proíbe os sacerdotes de manifestarem apoio público a candidatos ou partidos. "Não pode manifestar publicamente, muito menos em redes sociais, qualquer apoio a candidatos ou partidos políticos seja de situação ou oposição, evitando assim escândalos e divisões na comunidade", avisa.

"Qualquer conduta de sacerdotes que contrarie as orientações acima deve ser reprovada pela comunidade local", crava.

De novo

Em 2013, padre Tuti foi um dos 39 transferidos pelo bispo Dom Benedito na mudança considerada a maior da história da Diocese de Prudente. Ele, que estava há 17 anos na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, na Vila Maristela, assumiu a Paróquia de Santo Anastácio, antes de seguir para Tarabai.

Na época, durante um programa de rádio, o sacerdote desabafou em relação às transferências promovidas. Para ele, as mudanças foram drásticas e iriam provocar prejuízos à Igreja. O padre foi além e indicou que o chefe da Diocese errou, chegando a pedir "humildade" a Dom Benedito.

Compartilhe
Notícias Relacionadas

Rua Catharina Venturim Peretti, 171

Mário Amato - Presidente Prudente-SP

Telefones: 18-3909 3629 | 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.