| Presidente Prudente/SP

Câmara pede execução imediata de exigência do ensino superior

Medida atinge diretamente secretário de Turismo, Fábio Nougueira

Da Redação

Em 19/12/2019 às 16:40

Caso seja aceita, medida atinge diretamente secretário de Turismo, Fábio Nougueira

(Foto: Arquivo/AI)

Em petição assinada pelos integrantes da Mesa Diretora, a Câmara Municipal de Presidente Prudente pediu ao Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP) a execução imediata do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o órgão e a Prefeitura sobre exigência de diploma de ensino superior em nomeação de comissionados.

A medida atinge diretamente o novo secretário de Turismo, José Fábio Sousa Nougueira.

A petição protocolada, nesta quinta-feira (19), junto à 13ª Promotoria de Justiça de Presidente Prudente é assinada pelo presidente da Câmara, Demerson Dias (PSB); juntamente com a 1ª secretária, Alba Lucena (PTB); o 2º secretário, José Geraldo de Souza (PSD); e, ainda, pelo procurador jurídico do Legislativo, Fernando Monteiro.

Já o TAC, firmado entre MP e Executivo no dia 3 de setembro de 2019, é assinado pelo promotor de Justiça, Marcelo Creste; prefeito Nelson Bugalho (PTB); secretária municipal de Assuntos Jurídicos, Silvia Helena Ferreira de Faria Negrão; e pelo procurador jurídico do município, Pedro Anderson da Silva.

O TAC aponta que para novas e futuras nomeações para quaisquer cargos comissionados, o indicado deverá ter ensino superior completo, com diploma expedido.

Em seguida, pondera que aqueles comissionados já nomeados que não possuem diploma de conclusão de ensino superior terão até o dia 15 de abril de 2021 para apresentar o mesmo.
Entretanto, “fica esclarecido que, nesse período, em caso de exoneração de servidor comissionado que não possua curso superior, a nova nomeação para o mesmo cargo deverá respeitar o disposto na cláusula 2ª supra” menciona o texto.

Qual o fundamento para o pedido?

Para fundamentar o pedido de execução do TAC, a Câmara Municipal citou e acostou decisões de Tribunais de Justiça (TJs) e, ainda, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que apontam a vigência e eficácia do Termo de Ajustamento de Conduta a partir de sua assinatura e não somente a partir da homologação do mesmo pelo Conselho Superior do Ministério Público.

“[...] a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça firmou entendimento de que pela regra insculpida no § 6º do art. 5º da Lei n. 7.347/85, o TAC é título executivo extrajudicial e, por via de consequência, o descumprimento do quanto nele avençado dá razão ao ajuizamento da pertinente ação de execução, já que sua liquidez e a certeza do título dependem apenas da presença dos elementos constitutivos principais, não havendo necessidade de que seja homologado pelo Egrégio Conselho Superior”, apontaram os vereadores no documento.

O Legislativo também anexou recurso especial do STJ que trata da execução imediata do TAC, conforme cita em sua ementa: “Uma das principais características do TAC - Termo de Ajustamento de Conduta é a formação de um título executivo, não havendo necessidade de que ele seja homologado pelo Conselho Superior do Ministério Público, eis que o art. 9º da Lei nº 7.347185 exige esta homologação para que se faça o arquivamento do inquérito civil público, e não para a validade daquele como título executivo extrajudicial”.

Não há prazo definido para o Ministério Público responder ao pedido da Câmara Municipal.

Outro lado

Em nota enviada ao Portal, a Prefeitura afirma que ainda não recebeu solicitação "formal" do MPE-SP.

"O Governo de Presidente Prudente informa que ainda não recebeu qualquer solicitação formal por parte do Ministério Público em relação a este tema. Assim que houver, a Secretaria de Assuntos Jurídicos irá analisar o eventual pedido e tomar as providências que julgar adequadas", pontua, em texto enviado pela Secretaria Municipal de Comunicação (Secom).

Atualizada às 18h22 para acréscimo de informação

Compartilhe
Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Prudentino.

Fique tranquilo, seu email não será exibido no site.
Notícias Relacionadas

Telefone: 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.